quarta-feira, 25 de junho de 2014

A arma secreta do marketing

Para além das técnicas de marketing que muitos conhecem, este vídeo (produzido pela "Catsnake Films" para a "Compassion in World Farming") expõe o principal segredo. Apesar de a protagonista ser uma atriz (Kate Miles), a audiência só o soube no final. Seja como for, o que ela diz sobre a indústria alimentar é a pura realidade, e sobre a tal "arma secreta", não me parece que restem dúvidas. (O vídeo tem legendas)

segunda-feira, 16 de junho de 2014

Transgénicos: porque devem ser proibidos!

A entrevista da Doutora Margarida Silva, Professora na Escola de Biotecnologia da Universidade Católica do Porto, bióloga e perita em biotecnologia, esclarece os enormes perigos dos OGM (organismos geneticamente modificados ou transgénicos) para a saúde e para o ambiente.



Há mais de uma década que centenas e centenas de cientistas pedem a suspensão dos OGM em todo o mundo. Não apenas pelo princípio da precaução, mas porque as evidências da sua perigosidade para a biodiversidade, segurança alimentar, a saúde humana e animal começam a ser muitas.

Imagem obtida no blogue Octopus
"As patentes de formas de vida e processos vivos deveriam ser proibidas porque ameaçam a segurança alimentar, promovem a biopirataria dos conhecimentos indígenas e dos recursos genéticos, violam os direitos humanos básicos e a dignidade, o compromisso da saúde, impedem a pesquisa médica e científica e são contra o bem-estar dos animais.

Os cultivos transgênicos não oferecem benefícios para os agricultores ou os consumidores. Em vez disso, trazem consigo muitos problemas que foram identificados e que incluem o aumento do uso de herbicidas, o desempenho errático e baixos rendimentos econômicos para os agricultores. Os cultivos transgênicos também intensificam o monopólio corporativo sobre os alimentos, o que está levando os agricultores familiares à miséria e impedindo a passagem para uma agricultura sustentável que garanta a segurança alimentar e a saúde no mundo."

Imagem obtida em Combate Racismo Ambiental
Este texto foi extraído da Carta Aberta de 815 cientistas de 82 países a exigir a suspensão de OGM em todo o mundo (a declaração de cientistas do mundo data de 1999, foi sucedida pelo Relatório do Painel Ciência Independente de 2003, e pelo mais recente relatório Ban OGMs Now em 2013), que pode ler na íntegra nos links que se seguem

domingo, 15 de junho de 2014

Cursos de Planeamento em Permacultura (PDC) no norte de Portugal

No segundo semestre de 2014, dois cursos de permacultura (PDC) no norte de Portugal (em português):


Curso de Planeamento em Permacultura (PDC) na Universidade Católica - Biotecnologia, PORTO 

Em seis fins de semana, de 18 de outubro a 14 de dezembro de 2014
Mais informações e inscrições em: http://www.esb.ucp.pt/curso-permacultura


Não podia deixar de dar os parabéns à Universidade Católica, pois ver uma universidade associar-se ao ensino da permacultura é um excelente sinal! 



PDC - Curso Certificado de Permacultura, na Encosta do Paço, Arcos de Valdevez


De 12 a 25 de agosto 2014,  com Silvia Floresta e Yassine Benderra


sexta-feira, 13 de junho de 2014

Conferência "O Valor Económico dos Serviços prestados pelos Espaços Verdes", Famalicão, 18 de junho

Os espaços verdes, parque e jardins, são fundamentais para o equilíbrio ambiental das cidades e para a saúde física e mental dos seus habitantes. No entanto, do ponto de vista de quem os gere, são espaços onde, "supostamente", o investimento feito e os gastos na manutenção "não têm retorno económico". Nesta conferência vai-se tentar quantificar na linguagem "económica" esse retorno bem real e importante.

Conferência subordinada ao tema: "O VALOR ECONÓMICO DOS SERVIÇOS PRESTADOS PELOS ESPAÇOS VERDES: a integração das perspetivas económica, social e ambiental", no próximo dia 18 de junho de 2014, na Casa das Artes, em Vila Nova de Famalicão, promovida pela  Câmara Municipal de Vila Nova de Famalicão e ADRAVE.

«Esta conferência realiza-se no âmbito das atividades do Projeto PARKATLANTIC, co-financiado pelo Programa de Cooperação Territorial INTERREG Espaço Atlântico, no qual a ADRAVE é parceira, em cooperação com o Município de Santiago de Compostela (Espanha), a região do Mid-West Regional Authority (Irlanda), a Communauté d’Agglomération Pau Pyrénées (França) e a Mairie d’Angers (França).

A participação é gratuita, mediante inscrição prévia, limitada à capacidade do Auditório, até 16 de junho de 2014.»  

Inscrições e mais informações em  http://www.adrave.pt/pages/12?news_id=135

terça-feira, 10 de junho de 2014

Oficinas sobre Horticultura Ecológica, Famalicão

O Grupo Famalicão em Transição está a organizar duas sessões de Oficinas sobre Horticultura Ecológica, em Vila Nova de Famalicão, com a formadora Atimati,  a realizar nos dias 14 e 21 de junho de 2014.

Oficina da manhã, 9h30 -12h30:
Tratamento e Prevenção de Pragas e Doenças.

Oficina da tarde, 14h30 - 17h30:
Identificação de Plantas Selvagens Úteis.

Inscrições e mais informação: ver no blogue de Famalicão em Transição

Local:

Dia 14 de junho: Quinta de Ribela, Cruz

Dia 21 de junho: Hortas do Parque da Devesa (a confirmar)

quinta-feira, 5 de junho de 2014

A cidade perdida dos Incas

A beleza da cidade perdida dos Incas (Machu Picchu, Peru) contida nas imagens faz com que partilhe este vídeo (apesar de promocional).

segunda-feira, 2 de junho de 2014

Contra o Fast Food: Slow Food e Fast Good

Em antítese ao Fast Food e ao estilo de vida acelerado, o movimento Slow Food (que foi já referido aqui), traz uma abordagem que nos induz a apreciar os alimentos e a dedicar-lhe o tempo que merece:  “O seu objectivo inicial era apoiar e defender a boa comida e o prazer gastronómico. Com o tempo esta iniciativa tem vindo a ser ampliada para abranger para abranger o conjunto da nossa qualidade de vida e, como consequência, a própria sobrevivência do planeta em que vivemos. O Slow Food acredita que a gastronomia está indissociavelmente ligada à política, à agricultura e ao ambiente entre outras coisas." (Fonte: Slow Movement Portugal). Um alimento considerado slow, é um alimento bom (sentido do paladar), limpo (para a saúde e para o ambiente) e justo (cadeia produtiva justa). 

Entretanto, uma outra abordagem também em reação ao "Fast Food":  Em Orleães, França, no vale do Rio Loire, um restaurante "Fast Good" prepara comida saudável, com alimentos biológicos, locais (a maioria da região de Loiret, os restantes nacionais), proveniente de pequenos produtores e através de circuitos curtos, o restaurante "Oh Terroir - version Fast Good". E onde entra aqui o fast? é que as refeições são pedidas num ecrã táctil, o serviço (self-service) é rápido, não é caro e dispõe também de take-away. Sempre opções de refeições vegetarianas.

Com um enfoque diferente do movimento "slow", mas com pontos em comum, o "fast good" é também uma excelente maneira de promover a economia local, de incentivar a agricultura biológica, e de contribuir para a saúde das pessoas, dos animais e do planeta. 

Um exemplo a replicar, e que em nada colide com o slow food (há tempo para ter tempo e há tempo para ter menos tempo).

Sejam refeições lentas ou rápidas, o que mais importa é que os alimentos sejam bons para as pessoas e para o ambiente!

domingo, 1 de junho de 2014

A Maior Flor do Mundo

"E se as histórias para crianças passassem a ser de leitura obrigatória para os adultos? Seriam eles capazes de aprender realmente o que há tanto tempo têm andado a ensinar?
José Saramago

No Dia da Criança, e para as crianças de todas as idades fica a curta-metragem de animação baseada no livro A Maior Flor do Mundo, de José Saramago. De Juan Pablo Etcheverry, com música de Emilio Aragón e narração de José Saramago. Produção de Continental Animación.


A Maior Flor do Mundo from Fundação Jose Saramago on Vimeo.

Três anos depois da sua publicação neste blogue (1/6/2011), a republicação desta bela história de José Saramago para todos os que já foram crianças se lembrarem de que essa criança que foram ainda existe.